Cannot open file (/home/danieles/public_html/v1/wp-content/backup/.htaccess)Cannot write to file (/home/danieles/public_html/v1/wp-content/backup/.htaccess) Seu lugar é aqui, seu momento é agora | Daniel Escobar

Seu lugar é aqui, seu momento é agora

texts

 

Ao longo do século XX a arte moderna passou por transformações de ordem conceitual e discursiva que resultaram em formatos artísticos contemporâneos que instigariam o espectador a estar menos contemplativo-passivo diante da obra, e mais ativo, isto é, crítico. A partir dos anos 1960, o artista irá investigar não apenas a essência filosófica ou plástica do objeto estético para experimentar modos e estratégias de inserí-lo politicamente no mundo real. Com essa operação, o lugar fechado e codificado das galerias e museus ficará pequeno para obras que cada vez mais se construirão sobre contextos sociais, culturais, urbanos, entre outros. Em busca de estabelecer um diálogo direto com a sociedade, artistas passam a elaborar obras que na verdade são sistemas articulados com o cotidiano, que transbordam para a cidade, a natureza, ou para suportes midiáticos comuns: a televisão, o rádio, a internet, revistas e espaços publicitários de toda sorte.

A pesquisa de Daniel Escobar se encontra nessa ordem onde o transbordamento da obra de arte para a vida prática é a razão do trabalho. Embora o artista desenvolva objetos no espaço convencional das galerias e museus, a força de suas propostas está na capacidade de operarem intervenções reais no mundo. Em Seu Lugar é Aqui, Seu Momento é Agora, o artista elabora um sistema de circulação de capital financeiro e simbólico inspirado nas estratégias de marketing que supervalorizam quaisquer mercadorias, serviços e empreendimentos, transformando-os em desejados artigos imprescindíveis para viver em sociedade.

O conjunto de trabalhos criados para esta exposição decorre de uma pesquisa acerca da engenhosidade propagandística da especulação imobiliária. Interessado nos recorrentes mecanismos de venda de promessas, Escobar examinou, ao longo de meses, dezenas de folders de lançamentos de imóveis em Porto Alegre para mapear as características ilusionistas de campanhas que oferecem apartamentos exclusivos e confortáveis, independentemente da metragem exígua ou falta de criatividade da arquitetura, localizados em uma cidade aprazível, moderna, ensolarada e verde – que  em realidade não existe. Desse material promocional, o artista selecionou algumas das muitas frases de efeito que são apresentadas como slogans, para usá-las em trabalhos e até no título da mostra.

Seu Lugar é Aqui, Seu Momento é Agora parodia os mecanismos comerciais que inundam o imaginário das pessoas com garantias enganosas de excelência, sofisticação e felicidade imediata. O material levantado por Daniel Escobar escancara uma das obsessões patéticas deste mundo  conectado globalmente pelo desejo de consumir: a de ser VIP – Very Important People a todo custo em meio à massificação, repetição, simulacro e anulação das consciências críticas.

Na série A Nova Promessa, a qual alude aos tênues sonhos consumistas do trabalhador médio, o artista explora o recurso publicitário de esvaziamento da linguagem e usa bordões grandiloquentes de sentido frágil para intitular painéis de bilhetes de loteria bordados com fios dourados. Em um jogo simples de recontextualização semântica, três obras mostram orações como: Exclusividade também é um direito de seus filhos, ou Grandiosidade e exuberância aguardando a sua presença. Essas mensagens, uma vez retiradas do contexto original carregado de imagens de pessoas brancas, felizes e bem-vestidas, aparecem então desnudadas, soando como melancólicos engodos em um cenário mundial de crise moral e econômica repleto de desalojados sociais e guerras civis.

Em A Especulação Imobiliária, um conjunto decaixas de acrílico lembra perfis de edifícios e estão parcialmente preenchidas com réplicas de peças de jogos infantis de construção, feitas com o papel impresso de alta qualidade retirado dos folders dos lançamentos. Ao contário do que se poderia imaginar, o interior dessas caixas não trazem maquetes de mundos ideais, mas seu desmoronamento, numa referência ao próprio vazio das promessas ofertadas pelos prospectos.

A peça central desta exposição, pela sua visibilidade estratégica, é Anuncie aqui, uma placa de outdoor disponibilizada como mídia de aluguel, paradoxalmente visível dentro de um lugar fechado, em um evento sem fins lucrativos. Mais do que um recurso sensacionalista, Daniel Escobar faz desse trabalho uma operação real que conecta a arte com a vida mesma ao explicitar meandros do mercado publicitário com seus planos de ação, valores, estratégias de venda e garantias de visibilidade do produto ao cliente.

Por fim, a peça que fecha o percurso na instituição é Anúncio, back light com um mapa turístico de Porto Alegre tomado por publicidade local no verso. Esta obra singela, desvela uma cartografia contemporânea que perversamente traz rotas urbanas traçadas por estabelecimentos comerciais no lugar dos tradicionais monumentos.

Além dos trabalhos expostos, uma última peça se destaca como híbrido entre o artístico e o utilitário. Ao discutir a publicidade como ciência voltada essencialmente para a venda de promessas e expectativas, Daniel Escobar simulou a linguagem dos empreendimentos imobiliários e projetou sua exposição em 3D para o próprio catálogo. Assim, conseguiu que no RS Contemporâneo uma mostra pudesse ser apresentada na íntegra antes mesmo da sua montagem – ainda que em imagens provisórias e meramente ilustrativas, como manda o protocolo da propaganda.

Enquanto a obra de arte é geralmente associada à idéia de ilusão, a publicidade por sua vez é aceita como atividade pragmática. No entanto, se esta oferece um mundo tão especial apesar da barbárie, a arte permite se posicionar no extremo oposto, sendo mediadora da consciência crítica do espectador com o discurso vazio do espetáculo. Daniel Escobar consegue dar a volta nessas questões entre realidade e invenção, fazendo do artístico – ou fictício – um sistema que se integra com o real. Ao mesmo tempo, o artista expõe visceralmente táticas publicitárias evidenciando, assim, aquilo que de fato são: grandes ficções.

 

Daniela Labra